quinta-feira, 6 de julho de 2017

Exercício e infertilidade

Traduzido por Andrea Patrícia




No passado, a crença de que o exercício altamente extenuante comprometia a saúde e a fertilidade das mulheres era comum e levou a esforços para encorajar as mulheres a exercer atividades atléticas menos exigentes, como tênis, hóquei em campo, ginástica e arco e flecha.

Essa crença, frequentemente ridicularizada na era do feminismo, foi justificada com o tempo (a visão de que as mulheres não devem fazer nenhum exercício vigoroso).

A "Tríade da Atleta" é uma preocupação crescente. Do Runner's World:

De acordo com o American College of Sports Medicine, cerca de 44 por cento das mulheres atléticas experimentam mudanças em seu ciclo menstrual, ou viram sua menstruação parar completamente (amenorreia) em algum momento.

Os sintomas podem estar lá, mas as corredoras às vezes assumem isso, mesmo que suas regras possam ter parado, elas são saudáveis ​​de outras maneiras, graças à sua corrida. Na verdade, a amenorreia pode levar à infertilidade e à perda de densidade óssea. A curto prazo, isso pode significar mais fraturas de estresse, mas a longo prazo dificuldade em conceber e o início precoce da osteoporose também são possibilidades.

Na década de 1970, os especialistas achavam que a amenorreia estava ligada à perda de peso ou à baixa gordura corporal, mas essa visão mudou desde então. Agora, pensa-se que um desequilíbrio energético é a chave: "Nós pensamos que essas mulheres estão em um estado de" baixa energia ", o que significa que estão gastando mais calorias do que elas estão reabastecendo com a ingestão dietética", diz a professora Anne Loucks, da Universidade de Ohio, em os Estados Unidos. A teoria diz que, se não houver energia suficiente para que o corpo funcione bem em todos os níveis, ele prioriza, usando calorias disponíveis para ajudá-lo através de sua corrida de treinamento de 10 milhas em vez de manter a função reprodutiva.

- Comentários -

Terry Morris escreve:

A teoria diz que se não houver energia suficiente para que o corpo funcione bem em todos os níveis, ele prioriza, usando calorias disponíveis para ajudá-lo através de sua corrida de treinamento de 10 milhas em vez de manter a função reprodutiva.

Por costume, então, a natureza se auto-corrige. Uma mulher que prioriza a participação em atividades esportivas e de fitness sobre a maternidade e o trabalho doméstico, não é apta a ser mãe, esposa ou dona de casa. Portanto, a natureza segue seu curso.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.