quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Trajes folclóricos: Lavradeira de Viana do Castelo no Minho, Portugal

Por Roman K.

Traduzido por Andrea Patrícia



(...)

Este é o traje mais famoso de Portugal, e o mais colorido. Ele é visto frequentemente representando Portugal como um todo. É nativo de alguns vilarejos em torno da cidade de Viana do Castelo no norte da província do Minho. Esta cidade está no Atlântico bem ao no norte da boca do rio Lima.




Esta área possui diversos trajes que diferem de acordo com o propósito e a classe social. O traje do qual tratarei aqui é chamado de 'Traje de Lavradeira' pelo povo local. No restante de Portugal ele é frequentemente chamado de traje de Viana do Castelo, e fora de Portugal é comumente referido como traje do Minho.


Há pequenas diferenças entre os vários vilarejos, e também, como você pode ver pela primeira foto, o traje vem em duas variações de cor: vermelho, e azul ou verde. O segundo é também conhecido como 'traje de dó' que pode ser traduzido livremente como traje triste.




A versão vermelha é considerada como a versão 'feliz', e é usada pelas mulheres mais jovens. A versão azul ou verde é usada em tempos de semi-luto ou outra tristeza, como a falta do bem amado, e por mulheres mais velhas


A base da roupa é uma camisa de linho com floral azul bordado em ponto de cetim na frente, nos ombros, na parte de cima das mangas e nos punhos. Há uma faixa de smocking no topo da manga também. Eis aqui uma camisa antiga mostrando o corte.









Atualmente a camisa é feita em duas peças, formando uma blusa e uma peça estreita usada por baixo da saia. Uma anágua cheia é usada por cima da primeira.



Há um corpete separado, colete, que é sempre costurado em duas partes. A parte de cima é a mais colorida do traje, vermelha, azul ou verde, e a parte de baixo é preta. A costura ente as duas segue a linha do diafragma e portanto promove uma respiração saudável. A frente é cortada baixo, e há geralmente um ornamento em forma de coração.



Geralmente há uma linha de bordado ou uma trança ao longo da costura, e diversos bordados no corpete. Existe uma variedade fantástica, desde o bem simples até o muito colorido e cheio.












Você verá também exemplos com bordados de baixa qualidade, que podem ser confeccionados rapidamente e são feitos para o mercado turístico.




É fácil reconhecer os dois diferentes estilos nas fotos acima. Eu fico imaginando se eles são de dois vilarejos diferentes. Eis aqui um terceiro. Este corpete é do vilarejo de Areosa.




A saia é feita de linho ou lã pesada. Se for feita de lã, possui uma cor de fundo seja vermelha ou azul/verde, com listras finas de outras cores espalhadas largamente. Você pode ver nesta foto acima que há uma faixa estreita junto a faixa da cintura, e então o corpo da saia é unido a esta faixa. é assim que a saia pode ser feita tão cheia. Há uma faixa larga costurada para a bainha. ela é geralmente preta, mas em alguns vilarejos no litoral ela pode ser vermelha. Pode ser lisa ou com bordados na parte preta do corpete.






Eis aqui diversas mulheres usando o traje de Lavradeira, e duas usando o traje Mordoma que é também da mesma região.








A bainha fica geralmente na altura do tornozelo, mas como em tantos lugares, alguns grupos de dança decidiram encurtá-la.





Existe uma versão mais simples deste traje chamada Domingar que é para os domingos e para ir ao mercado. O traje completo é para os festivais. Este tem uma saia lisa ou de linho listrado. A parte de cima do corpete pode ser feita de linho também.





O avental é tecido a mão de lã grossa, os desenhos são formados puxando pequenos laços de fio para fora, assim o desenho se destaca do fundo. É duplamente unido da mesma forma que a saia. Tradicionalmente os motivos são relativamente simples formas geométricas. Em 1918 o pintor José de Brito Sobrinho, que nasceu nesta região começou a criar motivos mais elaborados para os aventais que sua esposa usava. Estes desenhos, especialmente os florais, tornaram-se parte da tradição local, especialmente no vilarejo de Santa Marta de Portuzelo.











Os antigos desenhos geométricos são agora mais usados na versão domingueira do traje. Pessoalmente eu acho que eles são muito mais atraentes do que as flores de cor de rosa berrante.


Um bolso separado, algibeira, é usado com este traje. É bordado na forma de um coração estilizado. Ao mesmo tempo em que é decorativo ele tem uma função prática que é a de carregar chaves, carteiras, lenços, etc. Esta é uma lembrança comum que as pessoas trazem frequentemente de Portugal.













Um lenço é usado na cabeça. Se havia algum outro adorno para a cabeça, já foi esquecido. Uma echarpe similar é usada nos ombros no traje de Lavradeira, Mas não no Domingar. eles são de várias cores, mas a maioria tem o mesmo desenho.





Tamancos com saltos baixos, chinelas, são usados, ou como muitos camponeses por toda a Europa, eles geralmente andam descalços. eles podem ser lisos ou com bordados. Meias tricotadas são usadas com as chinelas. Existem também meias sem pés [N.T. polainas], que podem ser usadas quando se está descalço ou com os tamancos, para manter as pernas aquecidas, eu suponho.












É claro, o traje completo de lavradeira não está compoleto sem uma abundância de joias de ouro.






O traje masculino é direto. Calças pretas, jaqueta preta. O único detalhe é a camisa de linho que é bordada, geralmente de azul ou vermelho em ponto e cruz.






Algumas vezes uma camisa para ocasiões especiais é bordada em branco sobre branco.






O traje Domingar para os vilarejos da costa do Atlântico é branco, e inclui um boné de pescador que é espalhaoa por todo o mediterrâneo.





Um fato interessante é que o traje de casamento nesta região, bem como em outras partes da Europa, é preto.






Obrigada pela leitura. espero que tenha sido interessante e informativo.

Fecharei com mais algumas imagens deste traje.












 

Parece que neste website você pode comprar peças deste traje. Ao menos temos algumas boas fotos mais de perto:


http://www.casaregional.com/#/Galeria-de-Produtos-04-00/


Aqui está um slideshow com os trajes desta região:
http://www.youtube.com/watch?v=Osf9s0ppzyQ


Aqui está um grupo de dança da cidade de Viana do Castelo. Os dançarinos estão todos usando o traje domingar, mas os trajes da lavradeira e da mordoma são usados pelas cantoras:
http://www.youtube.com/watch?v=GgIK3bvAAe8


Original aqui.


--------------------------------------------




Comentário de uma leitora dele, Gabriela Salvador:













  1. A camisa masculina geralmente, mas nem sempre, possui um poema bordado em ponto de cruz em cima do peito, no lado esquerdo. Este poema romântico é consistente com outras tradições de amantes, tal como o lenço do amado. O lenço do amado é bordado com motivos naturais e linhas de poesia. as palavras eram muitas vezes escritas de maneira errada porque estas garotas não tinham muito estudo. A tradição continua hoje, e as palavras nestes lenços são escritas de modo errado deliberadamente. o lenço do amado é usado para segurar a cerimonial vela de missa. O bordado do corpete, até onde eu sei, não possui um significado importante, apenas motivos naturais que se desenvolveram através dos anos.


    (...)


    Você pode encontrar as blusas no Etsy ou no Ebay:


    http://www.martaprozil.pt/


    http://www.lojadofolclore.com/?link=detalhes_produto&idproduto=67