terça-feira, 9 de dezembro de 2014

Os Falsos 'apostolados' de modéstia - Tomem cuidado!

.


Recomendo a leitura desta bela postagem sobre a modéstia e o perigo dos falsos apostolados sobre o tema, publicado pelo blog Feminina, modesta e elegante.


A minha ressalva é quanto ao padre Paulo Ricardo*, citado no texto, que ao tratar sobre modéstia já disse coisas das quais discordo vivamente, porque não estão de acordo com o ensinamento da Igreja mesmo. Mas quando ele fala da saia, da importância desta vestimenta e de sua feminilidade, e do ridículo da calça usada pela mulher, ele acerta em cheio.


Muito bonita a parte do texto em que ela fala sobre a mudança ocorrida com a mãe dela. Que sirva de exemplo para as moças e mulheres que querem vestir-se com modéstia, mas que ainda tem medo do que os outros vão dizer. Ser cristão é coisa difícil mesmo, minha gente, é muita luta. Não esperem que seja fácil, porque Nosso Senhor nunca prometeu isto.


Realmente, quem defende o uso de tudo aquilo que está por aí nas vitrines, na mídia, nas ruas, ou seja, a moda e os modismos e costumes atuais (que é o que acontece nestes falsos apostolados), não está defendendo a modéstia, pois o que há de diferente entre o que elas apresentam em seus blogs e o que o mundo prega que a mulher deve usar? Legging, decotes, ombros de fora, costas nuas, biquíni, nada disso é modesto, é tudo bastante mundano, e ainda assim vemos pessoas defendendo tal vestuário como se este fosse digno da mulher cristã, quando este é o mesmíssimo vestuário da mulher mundana e sensual. É um total contrassenso. Na verdade quem defende este tipo de vestuário não quer saber mesmo de ser modesta, quer continuar a andar de mãos dadas com o mundo, e, portanto, para elas é bem conveniente pregar que não existem regras dadas pela Igreja e eleger suas próprias regras como se fossem cristãs, como se fossem dignas da modéstia, para então conquistar as desavisadas e as outras pessoas que não querem mudar. E quem busca defender o que a Igreja, Mãe e Mestra, sempre defendeu, é logo rotulado por estas pessoas que fazem falsos apostolados como "puritano", "radical", "extremista", entre outros "epítetos" nada caridosos.


Mas o que importa o que os outros dizem? Importa sim o que Deus diz, e Ele deixou Sua Igreja para nos ensinar. Quem quer buscar a modéstia de verdade, ouve a voz da Madre Igreja, busca nos santos, nos bons sacerdotes, nos bons bispos e nos bons teólogos, a orientação para vestir-se com dignidade e verdadeira modéstia.


Leiam o texto:


 Os Falsos 'apostolados' de modéstia - Tomem cuidado!

Trechinhos:


“Falsos apostolados de 'modéstia' fazem um mal enorme às pessoas, e a sociedade de forma geral. Por que em vez de levar as pessoas até Deus, fazem elas regredirem na vida espiritual. E você pode ver isso claramente não somente nas vestimentas mas nas atitudes das pessoas, visto que a modéstia está inteiramente relacionada à uma alma devota. Como já citamos neste blog, a modéstia exterior nada mais é que o reflexo de uma alma devota, sem esse interior, o exterior é insignificante, vazio, e pelas atitudes de zombaria, atitudes egoístas, desumanas, soberbas das pessoas que fazem o falso apostolado, vemos o que ela de fato tem na alma, e é justamente por isso que a modéstia exterior não existe nelas.”


“(...) minha mãe que nunca usava vestidos nem saias, começou a se interessar pelo assunto depois que eu mudei meu guarda roupas, hoje ela tem vários vestidos, várias saias que antes nem pensava em usar. E isso ocorreu como uma grande graça depois dela me atacar muito devido a minha nova maneira de pensar, enfim Deus dignou-se de cuidar de tudo no momento certo, me deu a cruz, e eu segui com ela nas costas, sofri? Sim, no começou eu chorei muito, sofri por que ela mesma me atacava, mas persisti neste caminho e consegui a vitória de ajudar muitas pessoas ao meu redor, valeu a pena! E eu não tenho medo de vivenciar esse versículo bíblico: "A vossa modéstia seja conhecida de todos os homens" (Filip 4, 5).”


“Estas pessoas aderem a "modéstia light" por medo do que os outros vão dizer. E quando eu for na faculdade? O que dirão? E quando eu for no supermercado? Pensarão o que? O que meus alunos dirão se eu usar somente vestidos? O que minha família dirá? Estas pessoas se preocupam com sua imagem, e é conveniente a elas que a modéstia verdadeira não seja praticada. Assim como é conveniente a um ateu que Deus não exista para que ele não seja condenado. “


_________________________


*Em tempo:


Achei o trecho do podcast sobre modéstia do padre Paulo Ricardo, do qual discordo dele. Está aqui, aos 15:30 minutos:

https://padrepauloricardo.org/episodios/pudor-e-modestia

Transcrevo:

“Uma mulher pode ou não pode usar vestidos sem manga? Bom, trata-se da forma como este vestido se apresenta. Se este vestido é de alguma forma sedutor, faz com que as pessoas comecem a imaginar cada vez mais e a pensar cada vez mais naquelas partes que devem ser escondidas, no caso aqui os seios femininos, então é evidente que este vestido não pode ser usado.”


Ora, se a Igreja disse da última vez que se pronunciou sobre isso que a manga deve ser até o cotovelo, então nós não podemos nos afastar muito disso. Eu entendo que até pode ser mais curta porque de acordo com a Teologia Moral o braço não é parte desonesta, mas deve ser coberto de tal forma que não revele os seios, então a manga curta é tolerável. Mas é melhor que nós tenhamos uma margem de segurança e quanto menos coberto for o braço ou a perna, mais próximos estaremos das partes desonestas. Então acho que o que ele disse está incorreto e presta um desserviço ao apostolado da modéstia. É a minha opinião.

3 comentários:

  1. Olá Andrea, primeiramente gostaria de parabenizar seu blog, você é uma das responsáveis pela mudança não só do meu guarda-roupas, mas do meu pensamento, da minha visão do que é ser verdadeiramente uma mulher e mulher cristã. Você ajudou, literalmente, a salvar minha feminilidade há muito perdida. Deixo esse comentário como um agradecimento sincero e também como um pedido. Gostaria que me apontasse onde e em quê o Pe Paulo Ricardo manifestou alguma posição sobre modéstia (ou qualquer outro tema) que destoasse do que ensina a Santa Mãe Igreja. Conheço-o e sei do seu grande zelo pela Sã Doutrina, inclusive é deveras perseguido em razão da sua fidelidade. Pax.

    ResponderExcluir
  2. Querida, muito obrigada pelas palavras e pela leitura do blog. Fico imensamente feliz ao saber que pude ajudar um pouco na sua caminhada! :)

    Sobre o padre Paulo Ricardo, estou tentando lembrar das palavras exatas dele, mas não consigo, só lembro que ele comentou uma vez, num podcast, sobre as mangas nas roupas e no fim das contas não defendeu o uso de mangas, como a Igreja ensina. Eu sei que depois disso eu vi meninas que seguiam a modéstia passarem a defender roupas sem mangas (não estou falando de alcinhas, mas sim daqueles modelos que cobrem os ombros, mas que não possuem mangas). Gostaria de lembrar exatamente qual foi o vídeo ou áudio e o que ele disse, mas lembro que fiquei chateada e até comentei com uma amiga sobre isso. Ele não defendeu exatamente algumas coisas que deveria ter defendido. Mas se eu encontrar o que foi, eu volto aqui e faço a citação ou deixo o link.

    A Paz!

    ResponderExcluir
  3. Achei o trecho do qual discordo dele, está aqui, aos 15:30 minutos:
    https://padrepauloricardo.org/episodios/pudor-e-modestia

    Transcrevo:
    “Uma mulher pode ou não pode usar vestidos sem manga? Bom, trata-se da forma como este vestido se apresenta. Se este vestido é de alguma forma sedutor, faz com que as pessoas comecem a imaginar cada vez mais e a pensar cada vez mais naquelas partes que devem ser escondidas, no caso aqui os seios femininos, então é evidente que este vestido não pode ser usado.”

    Ora, se a Igreja disse da última vez que se pronunciou sobre isso que a manga deve ser até o cotovelo, então nós não podemos nos afastar muito disso. Eu entendo que até pode ser mais curta porque de acordo com a Teologia Moral o braço não é parte desonesta, mas deve ser coberto de tal forma que não revele os seios, então a manga curta é tolerável. Mas é melhor que nós tenhamos uma margem de segurança e quanto menos coberto for o braço ou a perna, mais próximos estaremos das partes desonestas. Então acho que o que ele disse está incorreto e presta um desserviço ao apostolado da modéstia.

    A Paz!

    ResponderExcluir

Antes de fazer seu comentário: ele deve ser relacionado ao post, e feito respeitosamente. Reservo-me o direito de não publicar comentários que julgue desnecessários ou desrespeitosos. Os comentários não expressam a minha opinião e são de total responsabilidade de seus autores.